Ascensão

MUDANDO AS MARCHAS PARA NOVAS FREQUÊNCIAS

novasfrequências1
Dhy Stellar
Postado por Dhy Stellar

Resultado de imagem para imagens de mudando para as novas frequencias

Por Jennifer Hoffman

 

Se você já dirigiu um carro com uma mudança no câmbio, sabe que isto requer uma associação equilibrada de ação e tempo. Eu aprendi como dirigir um carro com uma transmissão manual e não foi um processo elegante. No início, o progresso foi medido em centímetros, enquanto eu aprendia a coordenar a embreagem e o acelerador, e o carro morria em poucos segundos. Agora eu o faço sem esforço e ainda que eu tenha dirigido um automático durante anos, eu domino facilmente a direção manual em alguns minutos no carro.

Antes de me aprofundar neste tema, quero sugerir que as lutas com as mudanças que as transmissões de energia exigem, e que estamos tendo agora, são bem parecidas com este processo e precisamos nos lembrar do que já sabemos, a fim de ajudarmos este processo a prosseguir de forma mais suave. Se encararmos o processo como uma recalibração da expansão da energia, em vez de uma “partida desde o início”, é menos frustrante e teremos uma perspectiva diferente sobre a falta de movimento, bem como as paradas e as partidas.

Quando você aprende a dirigir um carro com uma transmissão manual, você aprende rapidamente que cada marcha tem uma velocidade máxima limitada. O carro não irá muito rápido na primeira marcha, não importa o quanto você empurre o pedal do acelerador. Se tentar ir mais rápido do que a marcha permite, o carro fará muito barulho. O aumento da velocidade requer que você mude as marchas, pressionando o pedal da embreagem, liberando o pedal do acelerador e mudando o câmbio para a marcha seguinte. Se você tentar mudar o câmbio sem empurrar o pedal da embreagem, o carro fará muito barulho, e poderá causar alguns danos sérios. Da mesma forma se você mantiver o pé no pedal do acelerador, enquanto tenta mudar a marcha, o carro fará também muito barulho.

E se você tentar dirigir o carro muito rápido em uma marcha baixa, o motor ficará danificado. Quando eu aluguei um carro na Europa no ano passado a agente me perguntou se eu sabia como dirigir um carro manual e eu disse: “É claro”. Ela me perguntou isto porque alguém tinha dirigido um dos seus carros na primeira marcha, de Munique à Paris, e danificou o motor, pois este ficara muito quente.

O processo é incremental, também; você tem que mudar da primeira marcha para a segunda, para a terceira, etc, porque se você tentar pular as marchas, o carro irá diminuir a velocidade e morrerá, e irá parecer que você não sabe dirigir (sem mencionar o fato de parar no meio da estrada). O processo de aprender a fazer uma mudança de marcha é doloroso (sei muito bem disto) e é uma questão de tempo e coordenação, o que é muito parecido com a jornada em que estamos agora. E enquanto você está aprendendo, o carro faz muito barulho. Na verdade, é assim que você sabe que está fazendo algo errado, o carro faz muitos ruídos, ou ele não se movimenta sob qualquer condição.

O estranho sobre este processo é quando o pedal da embreagem  é empurrado, o carro está em ponto morto e o motor é desengatado da transmissão. Neste ponto, não importa o quanto empurremos o pedal do acelerador, o carro não se moverá mais rápido. Estamos também no ponto neutro, enquanto estamos mudando as marchas energeticamente e nada parece estar acontecendo. Na realidade, estamos ainda em movimento e avançando, mas estamos nos locomovendo até que uma marcha maior seja engatada, e então possamos avançar com mais rapidez. E se tentarmos ir mais rápido sem nos darmos algum tempo neutro, enquanto estamos nos preparando para mudar as marchas, poderemos ouvir muito barulho e embora não possamos fazer qualquer dano, poderemos nos sentir muito presos.

E eu nem mesmo mencionei o que acontece quando você tem que parar em uma ladeira e assim que você empurra a embreagem o carro começa a se mover para trás. Então, você apenas espera que o carro atrás de você não esteja tão perto, de forma que você bata nele enquanto está tentando coordenar o pedal do acelerador e trocar as marchas, e se mover para frente.

Este processo é muito parecido com o que estamos passando, cada vez que a nossa energia está pronta para mudar, ou seja, cada vez que olhamos para as nossas vidas e nos perguntamos se há algo mais disponível para nós. Nossa insatisfação atual é o portal para novos potenciais, se pudermos nos dar o tempo para mudar as marchas, passando pela fase neutra e usando este tempo para avaliar onde queremos ir em seguida. Querer sempre avançar, ir rapidamente de uma coisa para outra, continuar seguindo adiante, é parte do ser humano. Mas a nossa conexão com a Vontade Divina reside nas pausas, naqueles momentos em que nos desvinculamos do nosso movimento para frente e estamos nos deslocando, para que possamos nos desligar e avaliarmos os próximos passos.

Nestes momentos podemos fazer perguntas esclarecedoras como:

Para que mudança a nossa atenção está sendo atraída?

Qual é o nosso próximo e melhor passo (que é o que nos serve melhor, que é o mais capacitado e alinhado com a nossa intenção?).

O quanto de mudança estamos dispostos a nos permitir ter?

O que estamos dispostos a liberar e deixar para trás, enquanto mudamos para outra marcha? A entrega é como conseguimos os nossos próximos resultados.

Até onde estamos dispostos a ir?

Se usarmos este tempo para fazermos muito ruído, como nos queixarmos de que não estamos avançando com muita rapidez, que nos sentimos presos, ou que estamos frustrados com a falta de progresso, não estaremos usando a pausa de forma eficaz e tentando nos mover antes que possamos mudar as marchas. Em breve, iremos alcançar o limite da marcha (o nível de energia) em que estamos e teremos que nos preparar para mudar de marcha novamente. Eventualmente, poderemos aprender a usar as pausas de maneiras poderosas, prepararmo-nos para a próxima mudança, de modo que fluamos nela com graça e facilidade e não com muito barulho.

Você está pronto para a sua próxima mudança em uma marcha maior? É um processo ruidoso ou parece que ele está avançando muito lentamente? Tente fazer as perguntas esclarecedoras acima para avaliar onde você está no momento e use o poder da pausa para fortalecer o seu potencial, para que você flua em seu próximo nível energético com graça e tranquilidade.


Autor: Jennifer Hoffman

Fonte: http://enlighteninglife.com/
Facebook: Jennifer Hoffman
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br

Seu comentário é muito importante para o Blog.

Deixe um comentário