Marga - Experiências Espirituais

O primeiro grande amparo espiritual

Uma luz no fim do tunel
Postado por blog1

Como já disse o que espero é que estes meus relatos tão verdadeiros quanto maravilhosos em seu auxílio , sejam de alguma ajuda para quem precisar.

Transcorria o ano de 1969, e eu com 28 anos, já casada, ainda não conseguira engravidar.Já tinha um casal de filhos do coração, pois o amor materno sempre transbordara em mim! Portanto eu me considerava plenamente realizada com meus dois filhos. Mas pelo meu marido,que talvez ainda sonhasse em ter mais filhos foi que em uma noite, nas minhas preces costumeiras dirigi-me à “Jesus”, pedindo-lhe , que se fosse merecedora ele me proporcionasse uma gravidez.

Naquela mesma noite sonhei que estava em um túnel escuro, e que lá no final, um pontinho luminoso se aproximava, e tornava-se maior , até que tomando o tamanho ou mais de uma forma humana, tornou-se a imagem por nós conhecida como “Jesus”!Foi tanta a emoção ao ver aquele “Ser sublime” com vestes vermelho e douradas, e cercado por uma imensa Luz, que caí de joelhos e chorei. Neste instante, colocando a mão direita sobre minha cabeça ele falou: – “tu vais ter um filho”! Despertei….tremendo e chorando, acordei meu marido e contei-lhe o sonho!

Dois meses se passaram e engravidei! Desde o início eu sabia tratar-se de um menino, pois ouvira perfeitamente a palavra “filho”. E por incrível que possa parecer , a data prevista para o nascimento pelos cálculos médicos seria dia 25 de dezembro! O parto porem atrasou-se em 15 dias e pelo sofrimento do nascituro teve que ser induzido. Na hora do parto quando o medico rompeu a bolsa d’água acidentalmente arranhou a cabecinha do nenê, e eu ouvi quando ele chorou dentro da bolsa e se engasgou. Nascido o menino foi direto para a incubadora. Diziam-me os médicos na ocasião, que por precaução por ter passado do tempo de nascer.

Após três dias como não me trouxessem a criança para amamentar, tiveram que secar meu leite. A pedido meu, me levaram até ao berçário para ver meu filho. Pobrezinho, tinha agulhas nos dois pulsos, nos tornozelos, e até na cabeça, mas me tranquilizaram afirmando ser alimentação artificial… e eu acreditei! Voltei para o quarto feliz por ter visto meu filho e assim continuei , tranquila e confiante nos médicos.

Passaram-se mais 3 dias! Lembro-me que era uma manhã linda de verão, o céu azul que descortinava-se pela janela do quarto , era o que chamamos de “Céu de Brigadeiro”, sem uma nuvem sequer. Subitamente da parte inferior esquerda da vidraça, surgiu uma nuvenzinha pequena subindo lentamente…e tinha a forma exata de um carrinho de boneca, destes de vime, inclusive com as rodinhas!

Ao me deparar com aquela imagem, soube imediatamente, em meu coração, tratar-se da alma de meu filho que ali ia! Chorei, chorei muito até que me dei conta de que chorar não adiantaria, então pedi
“por favor, não levem meu filho, tirem-me todos os bens materiais,que eu termine em um tanque lavando roupas para fora, mas não me tirem esta bem espiritual! Feito isto, me acalmei! Soube depois que meu filho estivera muito mal, que uma junta médica estava cuidando dele, sem descobrir o que ele tinha.

Que ele morrera asfixiado sem que nada pudessem fazer, pois os exames de raio X nada revelavam, nem nos pulmões , nem na traqueia. Meus familiares reunidos buscavam forças para me dar a notícia sem imaginar que meu coração de mãe já sabia. O médico já passara o atestado de óbito, e a enfermeira que ficara no berçário onde se encontrava a criança morta tapada com um lençolzinho, lavava os instrumentos cirúrgicos.

Neste instante ela pressentiu movimento sob o lençol. ao destapar a criança, notou que apesar de clinicamente morta esta tinha expelido uma impureza do líquido amniótico, que com certeza estava na garganta em um local que os exames não denunciaram, e que tinha sido engolida pela criança na hora do parto. Espantada a enfermeira chamou os médicos que mais espantados ainda ficaram e passaram a atender a criança, já de volta a vida!

MILAGRE? Tudo aquilo que nossa mente não explica, rotulamos de milagre!

Mais alguns anos se passaram, exatamente quatro, quando tive um novo sonho. Desta vez com uma tia avó já falecida, que entrou em meu quarto com uma criança nos braços, e disse-me :- esta é tua filha! Novamente acordei chorando de emoção e contei ao meu marido que vira aquela criança linda de cabecinha de fartos cabelos pretos. mais dois meses se passaram e engravidei! Desta vez nasceu Daniela exatamente como eu a vira em meu sonho, tinha tanto cabelo e preto que mais parecia uma peruca! Era uma criança linda saudável e muito precoce pois caminhou com 10 meses apenas!

Texto autobiográfico escrito por Marga Elena Uhr Blos

Seu comentário é muito importante para o Blog.

1 comentário

  • É tanta informação ,mas que para mim é tão natural . Eu fico num estado encantamento incrível ,eu me identifico com tudo isso , embora o véu ainda cobre os meus olhos e me enpedem de ver o que é natural.eu tem 59 anos ainda estou sendo preparada para recordar.gratidao gratidão gratidão.

Deixe um comentário